O DIU de COBRE é um método contraceptivo, NÂO hormonal, seguro, eficaz, acessível à maioria das mulheres e que não irá interferir com seu metabolismo nem causar riscos à sua saúde.

Abaixo irei explicar um pouco mais sobre este método:

  • O dispositivo intrauterino (DIU) consiste em objeto sólido, fino e flexível de formato variável que é inserido através do colo uterino na cavidade uterina, com objetivo de evitar a gestação. Na maioria das vezes esta inserção é realizada no próprio consultório ginecológico;
  • É de fácil colocação no útero e poderá ser retirado a qualquer momento que a paciente desejar;
  • São mais de 99% efetivos, o que significa que menos de uma das 100 mulheres com DIU ficará gravida a cada ano;
  • Sua duração, dependendo do modelo optado, é de 5 à 10 anos;
  • Seu custo, no serviço privado, é acessível a maioria das mulheres e na Rede Pública de Saúde é fornecido de forma gratuita;
  • Não irá alterar o seu equilíbrio hormonal natural/fisiológico e não suprirá sua ovulação – algo a considerar se quiser se sentir mais em contato com seu corpo sem interferências na sua produção hormonal;
  • Não é abortivo!! Ele impede a fecundação do óvulo pelo espermatozoide. Seu mecanismo de ação consiste na presença de um corpo estranho e de cobre na cavidade endometrial que causam mudanças bioquímicas e morfológicas no endométrio, além de produzir modificações no muco cervical. Estas mudanças afetam adversamente o transporte de esperma de modo a prevenir a fertilização. Os íons de cobre também têm um efeito direto na motilidade espermática, reduzindo a capacidade de penetração, do mesmo, no muco cervical.
  • Não interfere com a sua Libido, pois não altera seus níveis de testosterona nem de outros hormônios;
  • Após a sua retirada temos o restauro rápido da fertilidade, visto que ele não bloqueia a ovulação e não interfere na produção hormonal. O mesmo não podemos dizer dos outros métodos contraceptivos, como por exemplo, as pílulas orais e os injetáveis;
  • Não provoca aumento do peso nem retenção hídrica, o que irá auxiliar na otimização do seu metabolismo e cuidados nutricionais.
  • Não tem o risco de esquecimento do uso como o que acontece com os contraceptivos orais (pílulas) e injetáveis.
  • Não está associado com o risco de desenvolvimento de: câncer de mama, câncer de colo uterino, doenças hepáticas, doenças inflamatórias intestinais, trombose venosa profunda e AVC.
  • Está associado a redução do risco de câncer de endométrio. Os mecanismos biológicos sugeridos para a proteção são relacionados ao efeito direto no endométrio incluindo alterações inflamatórias e efeitos na proliferação endometrial e efeito na resposta endometrial aos hormônios incluindo a inibição de receptores de estrogênio e progesterona.
  • Pode ser utilizado por qualquer mulher que já mantenha relações sexuais, inclusive adolescentes e mulheres que ainda não tiveram filhos;
  • Ele é indicado para pessoas que não podem tomar qualquer tipo de hormônio sintético, no período da amamentação/pós-parto, pacientes com câncer de mama ou para as mulheres que simplesmente optam por evitar a adição de hormônios artificiais ao seu corpo.

O primeiro passo, antes de fazer a escolha sobre que método contraceptivo usar, é discutir com seu médico as opções que existem e àquela com o menor impacto negativo em seu organismo. Sim, todo método contraceptivo vai mexer com sua saúde de alguma forma, por isso que na Medicina Integrativa, em que consideramos o corpo como um todo e não apenas como órgãos isolados, funcionando cada um por si, ponderamos a escolha que trará mais benefícios e possibilitará manter seu organismo em harmonia. Afinal, não podemos solucionar um problema e causar outro para o corpo. Por isso analisamos caso a caso, individualmente.

   

Por Dra. Katia Magalhães, ginecologista funcional do consultório Dra. Thaisa Albanesi.

Referências bibliográficas:

  1. FEBRASGO – Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia. Manual de Orientação – Anticoncepção, 2010.
  2. Felice Gersh, MD. This Integrative Gynecologist Wants Us Asking Questions About The IUD. December 16,2017.
  3. 3.    Gretchen Lidicker. Is This The Most Effective Low-Hormone Form Of Birth Control?. March 14, 2017.
Comentários Facebook
Facebook
Facebook
Instagram
YouTube
YouTube

Todos direitos reservados a Dra Thaisa Albanesi       (11) 4371-2786

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial