A proteína é elemento essencial para os organismos vivos. Ela nos dá energia, ajuda o nosso corpo se recuperar, construção de tecidos, como ósseos e musculares, e mantém nossas barrigas satisfeitas.

A proteína é composta de aminoácidos de cadeia longa, que são os blocos de construção de músculo.

Nosso corpo produz 11 aminoácidos e os outros, os 9 chamados aminoácidos essenciais devem ser consumidos a partir de alimentos.

Como você sabe se você é deficiente em proteína?
img_7133
Abaixo estão alguns sintomas que podem estar relacionados à ingestão de proteína inadequada.
Tenha em mente que como com qualquer deficiência de nutrientes, os sintomas podem ter outras causas, por isso esta é uma lista geral e não deve ser usado para auto-diagnóstico.

1. desejos alimentares
Desejos de comida constante (o abre e fecha da geladeira a procura de algo novo), vontade de comer lanches, pães e carboidratos, muitas vezes entre as refeições pode ser a consequência de uma dieta rica em hidratos de carbono / açúcar e de baixa proteína. Proteína equilibra altos níveis de açúcar no sangue.img_7458
2. Dor muscular e dor nas articulações
Fraqueza muscular, dor, ou excesso de flacidez, podem ser um sinal de que seus músculos ou líquido articular estão sendo usados para complementar a energia necessária ao organismo por deficiência protéica na sua dieta.
3. Recuperação lenta de ferimentos
Para curar e reconstruir novas células, tecidos internos e pele, e de células do sistema imune, precisamos de uma quantidade suficiente de proteína. Quando isto não está ocorrendo com eficácia, pode ser um importante sinal de deficiência protéica, afinal, o corpo humano fala conosco o tempo todo.
4. Cabelo, problemas de pele e unhas
Cabelo que mudou a textura, tornando-se fino; queda de cabelo; descamação da pele e unhas; e unhas afundadas, são alguns dos primeiros sinais que seu corpo não pode ter proteína suficiente.
5. A retenção de líquidos
Edema ou acúmulo de líquido: a proteína desempenha um papel fundamental para evitar que os fluídos não se acumulem nos tecidos, especialmente nos pés e tornozelos.
6. Ficar doente frequentemente
Doença frequente significa que você tem um sistema imunitário deficiente e a principal constituição das células do sistema imunológico são as proteínas!
7. Cérebro
Nevoeiro cérebro, rajadas curtas de energia mental, sensação de “brancos”, estão muito relacionados à flutuação de açúcar no sangue, deficiência de gorduras benéficas e falta de proteína na alimentação.

Como saber o quanto proteína devo comer?
img_1321
É difícil ter proteína deficiente se você tiver uma dieta com uma variedade de vegetais (sim, eles são grandes fontes de proteínas, como folhas verdes escuras e feijões pretos, por exemplo – tema de outro post). É por isto que vegetarianos e veganos, podem sim ter todos os nutrientes e quantidades de proteínas necessárias ao ajustar a variedade de vegetais que consomem.
E aí está uma informação relevante: ao contrário das proteínas animais que em geral oferecem quase todos os aminoácidos necessários para a formação protéica, as proteínas vegetais o fazem de forma mais limitada, precisando ter uma grande variedade na alimentação para compor todas as necessidades protéicas. Por isto que o ideal é que um vegetariano ou vegano seja acompanhado por profissional adequado, pois com certeza ele saberá orientá-lo em relação à essa variedade.
No mínimo, a pessoa média precisa consumir 0,36 gramas de proteína por libra de peso corporal. Para uma pessoa que pesa 150 libras, que seria de cerca de 55 gramas de proteína por dia.
Mas a quantidade “certa” de proteína depende de muitos fatores, incluindo os níveis de atividade, idade, massa muscular e estado de saúde atual.

Quem tem mais risco de deficiência de proteína?deficiencia de proteina em idosos
Idoso: à medida que envelhecemos a nossa digestão e capacidade de usar a proteína é menos eficiente.
Atletas: utilizam em geral (também há variação para cada modalidade) mais proteína para construir músculos e como fonte de energia.
Pessoas que estão se recuperando de uma doença aguda ou lesão aguda: para curar precisamos de pelo menos 1,5 X mais proteínas do que o recomendado.
img_1322
Indivíduos estressados: os hormônios do estresse aumentados nos músculos e tecidos periféricos consomem maior quantidade de proteína, seja durante estresse físico ou emocional.
Pessoas em uma dieta de perda de peso: tem sido demonstrado em estudos que é necessária a proteína elevada para perda de peso para equilibrar o açúcar no sangue e prevenir o catabolismo. Sabemos que aumentar a ingesta protéica gera mais saciedade e diminui os níveis de insulina sanguínea, hormônio responsável pelo acúmulo de gordura corporal.
comprimidos (1)
Pessoas com problemas digestivos ou acidez diminuída no estômago: muitas pessoas têm um desequilíbrio no intestino (disbiose intestinal) e alteração na produção gástrica, essencial para a digestão protéica, conduzindo a muito mais do que dores estomacais, a imunidade reduzida, o ganho de peso, e perda de massa muscular (catabolismo). Para digerir proteína há que se ter o ácido do estômago adequada (ácido clorídrico ou HCL).

Leia também nos outros posts: o que posso fazer em minha alimentação se acredito estar com deficiência protéica? E sendo vegetariano ou vegano, o que é essencial ser equilibrado?
Espero que estas informações tenham te ajudado, afinal saúde é consciência!
                                                                                                                Um abraço, Dra Thaisa
Comentários Facebook
Facebook
Facebook
Instagram
YouTube
YouTube

Todos direitos reservados a Dra Thaisa Albanesi       (11) 4371-2786

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial